Aichi elabora novo Plano de Promoção Multicultural para estrangeiros

Plano que engloba a vida dos estrangeiros da infância a velhice entrará em vigor este anoaichi plano promocao multiculturalO governo da província de Aichi expôs no último sábado (13) as principais linhas do Plano de Promoção de Convivência Multicultural, que vigorará de 2018 a 2022.

O plano tem uma série de propostas que dizem respeito à vida dos estrangeiros na província, desde a infância, passando pela idade adulta até a velhice. Serão realizados ainda dois encontros nos dias 17 e 20 para coletar propostas para finalizar o plano, que entrará em vigor em abril.

O primeiro plano elaborado por Aichi foi feito em 2007, valendo a partir de 2008. Na época, a comunidade brasileira, por exemplo, era uma das maiores, mas veio a crise e caiu drasticamente o número de estrangeiros.

“O segundo plano foi em 2015, quando o número de estrangeiros voltou a aumentar”, explicou Kisanuki Shoji, chefe do setor da Ação Multicultural de Aichi.

Michito Ohashi, do mesmo setor, explicou que o atual Plano é mais abrangente, incluindo o seguinte: o ciclo de vida, desde o nascimento até a morte dos estrangeiros, amparando-os em suas necessidades, além de orientações sobre a educação e criação dos filhos, e também sobre o funcionamento do Kaigo Hoken, que é o sistema de seguro de assistência, voltado aos idosos.

Aichi hoje tem uma população de 244.424 estrangeiros de 130 nacionalidades, perdendo apenas para Tóquio.

Em meio a tanta gente com costumes diferentes, o governo de Aichi pretende também trabalhar junto ao público japonês, pois 30% destes, segundo uma pesquisa feita por Aichi, disseram que têm medo que a província se torne perigosa com o aumento do número de estrangeiros.

“Precisamos também, através do Plano, mudar esse pensamento. Alguns japoneses têm preconceito porque o governo não fez nada para eles entenderem a importância destas pessoas em nossa província. Por isso inserimos este item no plano”, ressaltou.

Na mesma pesquisa, os estrangeiros também foram consultados e 77,3% disseram que querem se relacionar melhor com os japoneses. “Mas eles não sabem nos dizer como isso pode ser feito”, acrescenta Ohashi.

Ohashi citou também que não existem salas multiculturais para crianças estrangeiras, as quais deverão ser criadas em número de 15. “E sabemos que há 2.664 delas que não estão na pré-escola. Queremos baixar esse número para 1.800. Mas temos também que 1.295 crianças estão nos colégios, porém queremos chegar a 1.500 até 2022”, citou.

Ohashi disse ainda que há crianças estrangeiras em salas especiais, condição que precisa ser mais bem compreendida para que sejam tomadas medidas corretas. “Pode ser que tenha criança apenas com problema de comunicação nestas salas”, citou.

Ele disse também que há a proposta de criar três salas para o ensino de japonês para adultos estrangeiros. Ohashi lembrou que na Alemanha os estrangeiros recém-chegados passam por um curso de 600 horas sobre o idioma local; na França são 400 horas e na Austrália são 510 horas. “O Japão não tem nada a esse respeito”, lamenta Ohashi.

A elaboração do Plano de Ação contou com três consultas feitas à comunidade brasileira e também aos estudantes do colégio Meijo, que aprendem sobre convivência multicultural. Além disso, foram ouvidas também duas pessoas com conhecimento sobre o assunto.

Uma delas foi Yuko Kawaguchi, que disse que esse é o melhor plano que ela já viu. “Até agora não havia nada assim com tanta clareza, sobre o que Aichi vem fazendo e o que precisa fazer”, disse.

O Plano de Ação tem outras preocupações ainda, como melhorar o ambiente de trabalho para os estrangeiros, auxiliar aqueles que estudaram em escola japonesa e pretendem concluir os anos que faltam, e também melhorar a ajuda a adultos que sofrem de problemas de origem psicológica devido a diversos fatores.

Na programação do encontro, após a exposição do Plano, os participantes podem comentar ou fazer sugestões. Uma mãe pediu atenção com as mães estrangeiras que passam por grande estresse ao terem filhos em um país que pouco conhecem.

Um senhor de nome Kinoshita, que tem pais chineses, também lembrou da necessidade de amparar os idosos estrangeiros na dificuldade que têm de se comunicar em japonês, sugerindo a presença de intérpretes junto a estes. “Se for assim haverá mais tranquilidade”, acredita.

Próximas reuniões
Dia 17, das 13h às 14h30
〒444-0860 Aichi-ken Okazaki-shi Myoudaiji Honmachi 1-4 Aichi-ken Nishi Mikawa Sougou Tyousha 5F sala 501.

Dia 20, das 10h às 11h30
〒440-0897 Aichi-ken Toyohashi-shi Matsuba-cho 2-63 Toyohashi Shimin Center (Calion Building) 4 F sala TYUUKAIGISHITSU.

Inscrições: fax 052-971-8736; e-mail tabunka@pref.aichi.lg.jp; ou por correio no endereço 〒461-0001 Aichi-ken Nagoya-shi Naka-ku Sannomaru 3-1-2 Tabunka Kyousei Suishim Shitsu.
A pessoa deve passar seu nome completo e telefone de contato (pode ser em português). Caso alguém prefira, Nayara Kinjo, do setor de Ação Multicultural, pode fazer a inscrição. Basta telefonar para ela para o número 052-954-6138, de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h45.
Fonte: Alternativa

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s