Tanabata: noite de fazer pedido para as estrelas

Tanabata é a sétima noite do sétimo mês; um dos 5 festivais mais importantes do Japão

tanaba jp
Tanabata acabou se transformando em um dos 5 mais importantes festivais do Japão. Escreve-se 七夕 e lê-se tanabata ou shichiseki. Todo ano, é prática do povo escrever seu pedido em uma folha de papel colorida ou brilhante, pendurar em um ramo de bambu e orar para que as estrelas atendam ao desejo.

Apesar de ter se tornado um festival japonês, a história conta que veio originalmente da China. Teria entrado no país, na era Nara (710 a 794). A palavra tanabata escrevia-se 棚機, e era uma cerimônia de purificação. A donzela tecia o kimono e o enfeitava na prateleira, em oferecimento aos deuses pela boa colheita de outono e para pagar pelo imundo das pessoas. Essa cerimônia ocorria na noite de 7 de julho, como um preparativo para acolher o obon (hoje, feriado de finados). Na atualidade a palavra passou a ser escrita com 2 ideogramas simples (七夕).

A história de Tanabata na China
No antigo calendário lunar, na noite de 7 de julho, as estrelas Vega e Altair exibiam o brilho máximo e eram muito apreciadas pelas suas belezas. Nessa noite, as estrelas Vega e Altair brilhavam ainda mais intensamente, tendo a Via Láctea entre elas. Foi quando surgiu a lenda da história de amor entre a tecelã e o pastor.

Tanabata: a história de amor entre Orihime e Hikoboshi
A lenda conta que há muitos e muitos anos, a linda Orihime (Princesa Tecelã, na tradução livre, a estrela Vegas), morava perto da Via Láctea. Ela era uma tecelã como ninguém. Um belo dia, o pai da princesa, Tentei (o Senhor Celestial), depois da insistência dos vizinhos de que já estava na hora da Orihime se casar, apresentou-lhe um belo rapaz. Seu nome é Kengyu (Pastor do Gado ou estrela Altair) ou Hikoboshi. Ele acreditava firmemente que era o par ideal para a princesa.

O que o pai não imaginava era que os dois se apaixonassem imediata e fulminantemente. Eles tinham em mente apenas o romance e o amor. Passaram a esquecer dos afazeres diários de cada um.

O pai da princesa, Tentei, não gostou nada disso. Ele decidiu, então, separá-los. Eles foram morar em lados opostos da Via Láctea.

Orihime, a princesa, caiu em lágrimas, pelo sofrimento e tristeza sem fim. O pai, então, de coração partido ao ver sua filha naquele estado fez uma concessão. Permitiu que o casal se encontrasse uma vez por ano.

tanabata jp

Essa data era o sétimo dia do sétimo mês do calendário lunar. Mas, Tentei impôs uma condição. Os dois príncipes enamorados tinham que atender todos os pedidos vindos da Terra nesse dia. Assim, a princesa atravessava o rio (Via Láctea) para se encontrar com seu amor e realizar o pedido das pessoas do Planeta.
Fonte: Portal Mie

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s